jusbrasil.com.br
11 de Maio de 2021

Como a taxa selic interere na economia e nas relações de consumo

Ana Letícia Almeida, Advogado
Publicado por Ana Letícia Almeida
há 2 meses


Recentemente a taxa Selic subiu para 2,75% e você sabe como isso pode afetar você?

Selic é uma abreviação para o Sistema Especial de Liquidação de Custódia. Este é um sistema eletrônico, utilizado pelo nosso governo, sob a gestão do Banco Central. Ele existe para controlar a emissão ou negociação (compra e venda) de títulos.

A taxa Selic está também associada ao chamado custo do dinheiro. Quando ela é reduzida, o consumo da população tende a aumentar, porque o crediário se torna mais barato, e isso estimula as pessoas a comprarem mais. Com o aumento do consumo, essa demanda pode superar a oferta, e isso gera um efeito ruim chamado inflação. Para conter a inflação, um dos instrumentos utilizados é elevar a taxa básica de juros (ou taxa Selic).

Com isso o custo do dinheiro fica mais alto, e crediário também, e a população começa a conter seus gastos, reduzindo a demanda. Isso provoca uma retração na economia, redução nos preços dos produtos e serviços, e tudo isso faz a inflação cair.

Esta é uma explicação didática. No entanto, o importante é você ter em mente que uma taxa Selic em elevação gera retração de consumo. Taxa Selic em queda, estimula o consumo e a economia (mas pode gerar inflação).

Como a taxa Selic influencia o consumo, ela também influencia, por consequência, o volume de negócios das empresas. Isso está diretamente associado à necessidade ou não de mão-de-obra.

Menos negócios, menos vendas, menos lucros, e menos necessidade de funcionários trabalhando, sejam nas linhas de produção ou na venda direta com o cliente. Isso faz o desemprego aumentar. A recíproca também é verdadeira.

É interessante observarmos a correlação entre os períodos de fartura ou crise econômica com as taxas Selic respectivamente em baixa ou alta.

Aquelas pessoas que se descontrolam com suas finanças pessoais nos períodos de “vacas gordas” e terminaram se endividando, passam a sofrer mais com a alta dos juros, pois as parcelas das prestações aumentam, bem como o risco de desemprego.

Por outro lado, quem fez a tarefa de casa nos tempos de bonança, pode aproveitar a elevação dos juros para lucrar ainda mais no mercado financeiro. Por isso é tão importante educar-se financeiramente.

Quem cuida bem do próprio dinheiro não sofre (ou sofre menos) nos momentos de crise, pois essas pessoas sabem extrair o melhor de cada momento econômico.

Acesse: aparcomseudireito.com.br

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)